[O 10, 2]

“O imagier [vendedor de imagens] … fornecerá, se for solicitado, o endereço do modelo que posou para suas fotografias obscenas.” Gabriel Pélin, Les Laideurs du Beau Paris, Paris, 1861, p. 153. Nas lojas destes imagiers, as fotos obscenas individuais eram expostas nas vitrines, enquanto as imagens de grupo se encontravam no interior.