[O 9, 2]

A Bolsa de Valores funcionou durante a Revolução de Julho como hospital e fábrica de munição. Para a fabricação dos cartuchos empregaram-se prisioneiros. Cf. Tricotel, Esquisse de Quelques Scènes de l’Intérieur de la Bourse, Paris, 1830. Ela também serviu como casa- forte. Ali foi depositada a prataria roubada nas Tulherias.